Funcionários do BNDES relutam em assinar documentos envolvendo a Cedae

Lava Jato bloqueou contas pessoais de técnicos

Compra direta não estaria no escopo do banco

Empréstimo ao governo do RJ é tido como arriscado

Por Leila Coimbra

Funcionários do BNDES (Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social) relutam em aprovar documentos relativos às negociações entre o banco e a Cedae, empresa estadual de saneamento do Rio.

Técnicos que ocuparam cargos de confiança nos últimos anos tiveram as contas pessoais bloqueadas por conta das investigações da Lava Jato. Temem agora ser responsabilizados por negociações com o falido Estado do Rio de Janeiro.

Em crise financeira, o governo do Rio busca recursos para honrar os salários atrasados do funcionalismo e outras dívidas, inclusive com a União.

Uma das soluções em vista é 1 empréstimo bancário, de R$ 3,5 bilhões, com 49% do capital da Cedae dado em garantia. Essa operação tem aval do governo federal.

A 2ª opção seria a compra direta pelo BNDES da parte do Estado do Rio na empresa de saneamento, para posterior privatização.

Os técnicos do banco rejeitam ambas as opções. No caso de empréstimo, passariam a ser credores de 1 governo falido e insolvente, uma operação arriscada. Sobre a compra direta da Cedae, o corpo técnico acha que esse tipo de negociação não faz parte das regras do banco de fomento.

O processo de privatização de empresas estaduais de saneamento estava sendo conduzido pelo BNDES, na gestão de Maria Silvia Bastos, que comandou o banco de maio do ano passado até maio deste ano. Mas a modelagem para a venda das estatais ainda não estava definida.

Fonte: Drive


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *