A prisão de Meirelles é inexorável

Todo mundo sabe que Meireles foi Presidente do Banco Central na era Lula e que agora é Ministro da Fazenda, com Temer. O que pouca gente sabe é que Meireles nunca foi homem de Estado, e sim do mercado. Empregado de vários bancos estrangeiros, Meireles infiltrou-se nos governos para defender os interesses de seus patrões, os banqueiros. Graças a homens como ele, Meireles, 50% do orçamento brasileiro, cerca de 1,7 trilhões de reais, entre dívidas, amortizações, juros, etc… é destinado aos bancos. E eles ainda querem mais. Quereriam todo o dinheiro público e mais 10%, se possível fosse.

Mas há uma faceta de Meireles que pouca gente sabe, pois é muito pouco divulgada. Entre outras coisas o estafeta do mercado foi Presidente do conselho de administração da JBS, aquela da propina generalizada, a do Joeslei e Weslei Batista, lembra?

Foi exatamente no período em que Meireles esteve nesse cargo que se deu a cornucópia da JBS. Dinheiro público à vontade. Bilhões e bilhões, via BNDES e mais todas as fontes possíveis de dinheiro público para irrigação de empresa privada.

Foi nessa época também, com Meireles à frente dos negócios, que a JBS patrocinou o maior esquema de propina que se tem notícia na história do Brasil. Todos, absolutamente todos os atuais pares de Meireles foram comprados pela JBS/ Friboi, inclusive o trambiqueiro mor, Michel Temer, a quem Meireles serve como Ministro do Mercado entronizado no Ministério da Fazenda.

Pois bem, este personagem, aparentemente emergido de uma comédia bufa ou de uma novela do surrealismo fantástico; um cidadão que nunca diz coisa com coisa quando se refere ao poder público porque dele nada sabe, pois sua vida inteira foi regiamente paga pelo poder privado, ao qual ele sempre se submeteu graciosamente; este ser obscuro afirmou ao jornal O Valor que a privatização da Cedae é inexorável.

Na prática, esse estafeta de banqueiros vem repetindo isso desde o ano passado, mas como sempre, está errado. Aliás, os vaticínios de Meireles nunca se confirmam por um motivo básico: Ele não é do ramo. Trata-se de um homem que confunde, evidentemente por má fé, mas também por falta de conhecimento de causa, interesse privado com interesse público. Na verdade Meireles não tem nem nunca teve nenhum interesse público, muito pelo contrário. Seus interesses são sempre privados. A prova disso é o perfil do governo ao qual ele serve.

A previsão de que a privatização da Cedae é inexorável é falsa, claro, assim como as várias previsões de Meireles que nunca se realizaram. Falta-lhe competência para prever qualquer coisa que diga respeito ao poder público. Meireles é um homem privado. Um homem que tem preço, não valor.

O que Meireles se esqueceu de prever, no entanto, é que sua prisão é inexorável. Vivemos um momento em que os vendilhões da pátria exercem o poder, isso é fato. Nesses momentos específicos a justiça, ou pelo menos parte dela, tende a agachar-se diante dos poderosos e cumprir os seus ditames assim, de cócoras. Mas isso é passageiro. Os períodos de exceção sempre passam. Isso sim, é inexorável.

Inexorável também é o fato de que o atual Ministro da Fazenda é o maior patrocinador de propinas da triste história brasileira. Na prática, um ladrão comum que se associou a ladrões públicos para saquear o Estado. Na verdade não é um Ministro de Estado, mas um Ministro da JBS, da Friboi, da corrupção, um ministro da lógica do “pagando bem que mal tem”. Na verdade é apenas elemento a colaborar com seus pares no assalto aos cofres públicos. Um bandido comum entronizado no poder, como quase todos os seus colegas de governo.

Caso o futuro presidiário Henrique Meireles não saiba, apesar de termos a mais absoluta certeza de que ele sabe, há várias ações tramitando na justiça com o objetivo de impedir as negociatas impostas pelo ladroento governo federal ao Rio de Janeiro, entre estas negociatas está a tentativa de privatização da Cedae.

Várias entidades, inclusive a APS, têm ações vivas na justiça com grande chances de suspender todo o processo de apropriação da Cedae por bandidos privados, sócios de agentes políticos governamentais corruptos e sem escrúpulos.

Ao final de todo esse processo, passado esse terrível pesadelo no qual o Brasil está imerso, nós da APS teremos uma satisfação inenarrável ao anunciar nossa vitória na justiça e a prisão dos responsáveis por várias maracutaias com o dinheiro e com o patrimônio público nesse período.

Assim como se deu no Rio de Janeiro, certamente muitos poderosos de Brasília irão em cana. Entre eles, é evidente, Henrique Meireles, o estafeta de banqueiros e vendilhão da pátria Brasileira.

Isso sim… é inexorável.

Vicente Portella


Um comentário em “A prisão de Meirelles é inexorável

  • 31 de janeiro de 2018 em 11:57
    Permalink

    DEUS NOS DEFENDA DESSES MALFEITORES, UM A UM CAIRÃO, COM A CEDAE ELES NUNCA TERÃO VEZ, A CEDAE É NOSSA!

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *