APS X BNDES: desembargador se declara suspeito para julgar ação

O desembargador Aluísio Mendes, do Tribunal Regional Federal da segunda região, se declarou suspeito para julgar a ação da APS contra o BNDES referente ao trabalho de modelagem visando a privatização da Cedae.

Sem motivo aparente, o desembargador alegou “fato superveniente ocorrido em data recente e no curso do processo” para declarar-se suspeito por motivo de “foro íntimo”.

Considerando as poderosas forças que atuam no processo político privatista e o esforço empregado por elementos de várias esferas de poder no sentido de entregar o saneamento aos agentes do mercado, a APS considera estranho e não compreende, embora respeite, a motivação do Desembargador.

Não podemos afirmar que haja pressão política ou interferência de qualquer natureza no processo judiciário. Pelo contrário. Confiamos plenamente no poder judiciário enquanto instituição e em seus operadores em todas as instâncias.

Acreditamos ainda que a justiça será feita no sentido de impedir que o patrimônio público seja torrado na bacia das almas, o que privaria a população, principalmente os mais pobres, de um sistema de saneamento qualificado e voltado para a preservação da saúde das pessoas.

Cremos na justiça e vamos continuar nossa luta para que os interesses da população sejam respeitados, preservados e que a Cedae seja poupada da ganância dos agentes privatistas que, a rigor, tornariam a população refém de seus interesses meramente financeiros.

 

Rodrigo Hosken, diretor jurídico da APS, defendendo o saneamento público no STF
Rodrigo Hosken, diretor jurídico da APS, defendendo o saneamento público no STF

 

 

 


Um comentário em “APS X BNDES: desembargador se declara suspeito para julgar ação

  • 30 de agosto de 2019 em 14:57
    Permalink

    Ainda existem pessoas sérias e compromissadas com o bem estar da população carioca , parabéns a todos políticos que não permitem ,que pessoas sem escrúpulos delapidem o património do povo.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *